h1

Engenheiro Mecatronico

setembro 11, 2009
Neste ínicio de 2009 o Mackenzie estreia o curso de Mecânica com habilitação em Mecatrônica. Confira nesta entrevista o processo de criação da nova habilitação e todas as novidades que estão por vir!

Considerada a área mais nova da engenharia no mundo, a Mecatrônica é uma disciplina integrada que utilizada as tecnologias de mecânica, eletrônica e a tecnologia da informação para fornecer produtos, sistemas e processos melhorados. O curso de graduação para Mecatrônica surgiu no Brasil na década de 1990 e foi reconhecido pelo MEC em 1992, que logo se firmou um dos mais concorridos. De olho nessa tendência a Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, localizada em São Paulo, oferece ao aluno o curso de Engenharia Mecatrônica. 

A Revista Mecatrônica Atual entrevistou Antonio Gonçalves de Mello Jr. que atualmente é professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e Coordenador dos Cursos de Engenharia Mecânica Plena e Mecatrônica. Ele possui experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Aproveitamento de Energia, atuando principalmente nos seguintes temas: bomba centrífuga, energia, turbina hidráulica, gás natural e cogeração.

MA – A Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie possui quantos anos e quais os cursos de graduação que ela oferece?
Antonio – Tudo começou em 1896, ou seja há mais de 100 anos. O curso de En- genharia Mecânica teve ínicio em 1917. Primeiramente ele se chamava Engenheiros Mecânicos Eletricistas e depois passou para Engenharia Mecânica, que era ligada a Engenharia Industrial. Por fim, em 1958 recebeu o nome de Engenharia Mecânica e comemorou 50 anos de curso em novembro de 2008. A escola de engenharia Mackenzie oferece seis cursos de graduação: Engenharia Civil, Engenharia Elétrica (com ênfases em Eletrônica & Telecomunicações e Eletrotécnica & Sistemas de Energia), Engenharia Mecânica, e neste ano de 2009 conta também com Engenharia Mecatrônica, Engenharia de Materiais (com ênfases em Materiais Poliméricos e Materiais Metálicos) e Engenharia de Produção & Tecnologia Elétrica.

MA – Porque o curso de Engenharia Mecatrônica veio somente agora para o Mackenzie?

Antonio – A maturação deste curso de Mecatrônica no Makenzie demorou um pouco. Na verdade a Engenharia Mecânica e Engenharia Elétrica sempre trabalharam para criar um curso de Mecatrônica mais tecnológico. Mais isso aconteceu somente nos dois últimos anos com a criação de uma comissão para estudar o curso de Mecatrônica. Este curso teve a sua raiz dentro da engenharia mecânica, tanto é que ele tem os quatro primeiros semestres (dois anos) – básico dentro na Engenharia Mecânica. Somente na quarta etapa o aluno faz a opção, ele escolhe entre a Engenharia Mecânica Plena ou a Mecatrônica.

MA – Neste ano de 2009, o aluno da engenharia mecânica que irá cursar a 5º etapa tem a opção de escolher a ênfase de Engenharia Mecatrônica?
Antonio – Não. A ênfase em Engenharia Mecatrônica poderá ser escolhida pelos alunos que irão iniciar neste ano de 2009. Ou seja as aulas de Engenharia Mecatrônica começam daqui há dois anos.

MA – Existe concorrência no vestibular para o curso de Engenharia Mecânica?
Antonio – Sim. Dentro das engenharias a Engenharia Mecânica foi a 2ª mais concorrida, perdeu somente para a Civil. Foram 120 vagas para 640 candidatos. Lembrando que somente na 4ª etapa o aluno faz a opção por Mecânica Plena ou Mecatrônica.

MA – O que a habilitação de Engenharia Mecânica Plena oferece para o aluno?

Antonio – O Curso de Engenharia Mecânica Plena, devido a sua concepção desenvolve habilidades para um vasto campo de trabalho, permitindo atuações nas mais diferentes áreas empresariais e industriais. O profissional com essa habilitação atua na concepção de novos produtos mecânicos, na automação de sistemas, no desenvolvimento de linhas de produção e montagens industriais, bem como no planejamento, controle e programação da produção de máquinas, equipamentos e veículos, no projeto de dis- positivos mecânicos e no projeto de sistemas de obtenção de energia por meio de máquinas térmicas e hidráulicas. Está ainda habilitado para a gestão tanto em áreas técnicas quanto em áreas industriais e de negócios. De uma maneira geral, o curso de Engenharia Mecânica Plena engloba cinco grandes áreas, que cobrem de forma completa as diversas atividades que o futuro engenheiro mecânico exercerá na sua vida profissional. Elas são Projeto de Máquinas e Instalações, Térmica e energia, Automação e Controle, Produção e Processos e Administração.

MA – E a habilitação de Mecatrônica?
Antonio –
O Curso de Engenharia Mecatrônica nasceu da necessidade da automação dos controles de processos industriais exigidos pelo avanço da tecnologia de produção. A Engenharia Mecatrônica baseia-se na integração sinergética da Engenharia Mecânica com a eletrônica e controles inteligentes computadorizados no projeto e manufatura de produtos e processos. O curso forma o aluno com habilidade para pesquisar, extrair conclusões e propor soluções para problemas de Engenharia Mecatrônica, aplicando princípios científicos e conhecimentos tecnológicos e utilizando sua capacidade de sintetizar informações e desenvolver modelos para solução de problemas da área. O Engenheiro Mecatrônico, devido as suas habilidades possui uma grande penetração nas industrias modernas e globalizadas, podendo atuar em áreas como automação e controle, nanotecnologia, sistemas robóticos, aquisição de dados, dimensionamento de dispositivos mecânicos remotos, eletrônica industrial, etc.

MA – Qual o perfil do aluno para os cursos de Engenharia Mecânica Plena e Mecatrônica?
Antonio – O aluno para ambas habilitações tem que gostar das matérias na área de exatas. Tem que ser bom em matemática e física. Porém o mais importante é que o aluno seja dedicado.

MA – Qual a idade básica dos alunos que iniciam as Engenharias?
Antonio –
Hoje em dia os alunos são bem mais novos do que há uma década atrás. Pode se dizer que são tão novos que as vezes eles não sabem o que querem. Nós vemos dentro da própria engenharia, alunos da terceira e quarta etapa da mecânica passar para elétrica, da elétrica querendo passar para produção e da produção pra mecânica e assim vai. MA – Existe parceria para empregar os alunos dessa área? Antonio – Não temos parceria, porém temos focos bem definidos. Sempre recebemos e- mails de grandes indústrias, como a Renaut e a GM, solicitando alunos.

MA – Qual é o número de professores na grade?
Antonio –
Juntas elas tem em sua grade 54 professores, porém temos intenção de aumen- tar esse número. Dos 54 professores, 25 são efetivos da Mecânica. É um número bastante enxuto. A Engenharia Mecânica não contrata professor aqui há mais ou menos cinco anos, pois a equipe é bastante coesa.

MA – Qual seria a profissão de destaque atualmente, engenharia mecatrônica ou mecânica plena?
Antonio –
Seriam as duas. Mas a minha preferência nos dias de hoje é pela mecatrônica. Porém depende do que o aluno busca.

Fonte: Mecatronica Atual
*Originalmente publicado exclusivamente na revista Mecatrônica Atual – Nº40

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: