h1

Curso de mecatronica Senai-CE

setembro 14, 2009

Curso técnico de mecatrônica do Centro de Formação Profissional Antônio Urbano de Almeida, unidade do SENAI-CE,  forma profissionais para operar robôs industriais

Poucos são os setores no país onde o desemprego ainda não é uma ameaça e o futuro é promissor. Entre eles, encontra-se o de tecnologia voltada à automação industrial. Para os que preenchem os requisitos de uma profissão que exige aptidão em mecânica, informática e eletrônica, entre outras áreas integradas, o curso técnico em mecatrônica pode ser a solução para se sair da fila do desemprego e garantir um salário inicial superior R$ 1 mil por mês. No Estado, o curso técnico é oferecido no Centro de Formação Profissional Antônio Urbano de Almeida (CFP AUA), unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Ceará (SENAI-CE). Desde sua criação, em 2001, cerca de 400 profissionais já foram capacitados. Muitos estão atuando dentro e fora do Estado.
Ao todo, são 1.804 horas/aula, incluindo 400 de estágio, o que dá um ano e oito meses de estudo. O curso é formado por disciplinas  que se integram, como Desenho Mecânico e CAD, Mecânica de Usinagem, Eletrônica Geral, Tecnologia da Comunicação, Controle Lógico Programável, Hidráulica e Pneumática e Robótica, entre outras.
“Com a crescente, e irremediável, substituição de certas atividades humanas pela máquina, em função da competitividade, há, cada vez mais, necessidade desse profissional no mercado”, avalia o coordenador do curso, José Alidomar Ribeiro. Ele diz que a capacitação em mecatrônica é razoavelmente nova no Ceará. Por isso, há muito que crescer, principalmente porque o empresariado do Estado está percebendo a necessidade de automatizar sua linha de produção, visando atender as exigências do mercado mundial, que precisa de rapidez e eficiência nos processos.


Segundo o docente Jorge William, o curso é mais conhecido pelo nome de robótica, mas, na verdade, esse é apenas um dos braços que compõem a mecatrônica, que inclui, ainda, conhecimentos em informática, eletroeletrônica, mecânica, automação, etc., todos interligados. “Os profissionais formados em mecatrônica podem atuar em vários elos da produção, desde a operação de robôs industriais, com suas ‘’mãos de ferro’’, até a criação de um novo processo de produção”, afirma.
Tecnicamente, ele é responsável por planejar, supervisionar, controlar e realizar ações de montagem e de manutenção corretiva e preventiva de sistemas integrados eletroeletrônicos, eletropneumáticos, eletro-hidráulicos e mecânicos, destinados a equipamentos e processos de manufatura. Os principais destinos são as indústrias eletrônica, mecânica, automobilística, de informática, química e automação, nas áreas de engenharia de produtos/projetos, de manutenção/processos, qualidade, manutenção e suporte técnico.
Jorge William garante que o emprego vem antes mesmo da conclusão do curso, haja vista que sua formação o direciona para estar sempre em busca de melhorias para os processos, atualmente fundamentais para a empresa se manter competitiva no mercado. “Normalmente, todos os alunos que estão no período de estágio são contratados. E isso é privilégio de poucas profissões”, frisa.

Tendência mundial

De acordo com o coordenador Alidomar Ribeiro, o curso nasceu da necessidade de o SENAI-CE preparar um profissional de alto nível para a indústria local, modernizando-se rapidamente, mas sem mão-de-obra qualificada para ocupar as funções. “Inicialmente, pensávamos em melhorar o tradicional curso de mecânica, mas avaliamos que seria melhor lançarmos um novo curso, mais amplo, que viesse ao encontro da tendência mundial de automação industrial”, explica.
O laboratório integrado de robótica do CFP AUA, onde são ministradas as disciplinas práticas, é um dos mais modernos do Norte e Nordeste, dispondo de recursos para a prática de manufatura integrada, pneumática, planta de processo, informática, eletrônica CAD, oficina mecânica, entre outras especialidades. “Instituições com cursos na área de automação, como o Cefet, utilizam nossas instalações para suas aulas. Nosso equipamento, importado da Alemanha, permite que o aluno desenvolva, na prática, o dia-a-dia de uma linha de produção”, garante Alidomar.
Segundo o coordenador do curso, a mecatrônica já é a capacitação mais disputada no Antônio Urbano, atualmente. A cada semestre, são disponibilizadas 50 vagas, em duas turmas (tarde e noite), para suprir a demanda. A concorrência já chegou a 14 candidatos por vaga. Na última seleção, para cada vaga, havia oito inscritos.
Mário César Nascimento, 46 anos, é dos aprovados no último teste (composto de provas de português e matemática). Ele conta que trabalha na área de manutenção industrial da empresa Esmaltec há onze anos. “Aceitei o desafio de voltar a estudar a fim de manter-me atualizado, preparando-me para as mudanças constantes do setor industrial. Adquirir conhecimento, sobretudo sobre novas tecnologias, é uma das armas que temos para nos afirmar no trabalho, além de ampliar as possibilidades de promoção”, acredita Mário César.
Para o jovem Leandro Ferreira da Silva, 19 anos, a escolha pelo curso de mecatrônica ocorreu por indicação de amigos, que já tinham estudado no SENAI. “Os especialistas dizem que este é o curso do futuro e que o emprego é garantido. Além disso, ele agrega duas áreas que gosto muito: mecânica e informática”, diz Leandro, que ainda pretende cursar engenharia mecatrônica.
Já José Alex Oliveira, 20 anos, foi estimulado pelo pai, formado em eletricidade pelo SENAI, onde lecionou por alguns anos. “Ele sempre falou muito bem da instituição. Quando surgiu a oportunidade, fiz o teste de seleção. Agora, quero aprender cada vez mais e seguir carreira na área, em especial, no ramo de engenharia mecânica. Minha meta é fazer o curso superior e o técnico ao mesmo tempo”, afirma.

Serviço O Centro de Formação Profissional Antônio Urbano de Almeida, localizado à av. Pe. Ibiapina, 1280, Jacarecanga, oferece o curso de mecatrônica duas vezes ao ano. Os interessados devem entrar em contato pelo telefone (85) 3214.3026.

Fonte:  Jornal da FIEC

Para os amiguinhos que estavam, assim como eu, desesperador por esse curso, tudo bem que é curso tecnico, mas cá pra nós, ganhar 2k reais no 3° ano é muito irado.

Anúncios

One comment

  1. curso com alto valor de empregabilidade
    porem com um alto valor R$ 313,00 reais por mês
    eu gostaria bastante de faze-lo,porem so tenho
    como pagar no máximo até 150,00 por mês.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: